Associação Selectiva Moda vania@selectivamoda.com
Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies. Saiba Mais

Têxteis portugueses partem para Tóquio à conquista do Oriente

Uma comitiva de empresas nacionais vai marcar presença na próxima edição da Jitac European Textile Fair, a maior feira têxtil do Japão, que vai decorrer entre os dias 26 e 28 de Março, em Tóquio. Indústria nacional procura destacar-se pela aposta em produtos de qualidade e de grande valor acrescentado.

BUREL FACTORY – EUROBOTÓNIA – FITECOM – LEMAR – LURDES SAMPAIO – OTOJAL – TEXSER – TROFICOLOR

O país do Sol Nascente é tradicionalmente um destino apetecível para as cores nacionais. Basta lembrar que os portugueses foram os primeiros ocidentais a desembarcar no arquipélago japonês, no longínquo ano de 1543, e que desde aí se estabeleceram fortes laços comerciais e diplomáticos.

A mesma viagem é agora repetida há já várias edições por uma vasta comitiva têxtil, que se prepara para participar na Jitac European Textile Fair, em Tóquio, entre os dias 26 e 28 de Março. Burel Factory, Eurobotónia, Fitecom, Lemar, Lurdes Sampaio, Otojal, Texser e Troficolor são as empresas que integram a comitiva From Portugal, organizada pela Associação Selectiva Moda, às quais se juntam ainda a Adalberto Estampados, a Gierlings Velpor, a Paulo de Oliveira, a Riopele, a Somelos e a Tessimex.

Para os portugueses, o Japão configura-se como um mercado apetecível, não só pelo potencial de vendas, mas também por ser considerado um mercado exigente, muito sensível à qualidade dos produtos. “O Japão é muito importante pelos padrões de elevada qualidade”, explica Maria Carla Pimenta, CEO da Texser. Em Tóquio, a têxtil de Serzedelo, Guimarães, quer aproximar-se do mercado japonês, e para isso prepara uma exposição com fios orgânicos, cupro e mistura de fibras e linhos.

“O mercado Japonês é um mercado onde existem marcas de grande notoriedade e prestigio” acrescenta Carlos Serra, CEO da Troficolor, outra das empresas presentes. A participar na feira pela 14ª vez, a têxtil trofense já trabalha com alguns clientes japoneses e espera consolidar estes contactos através da apresentação da nova colecção Primavera/Verão 2020, com especial destaque para as gangas e para os artigos sustentáveis como o algodão e o poliéster reciclado.

Também a Fitecom olha para a Jitac como uma prova importante onde é preciso passar com distinção. “É uma feira prestigiada e procuramos confirmar o alto patamar de qualidade em que a Fitecom está inserida”, adianta Nuno Neves, representante da empresa. Na feira, a empresa de Castelo Branco vai apresentar diversos acabamentos especiais para fato, casacos, calças e saias para homem e senhora, bem como tecidos especiais para a indústria dos uniformes.

O Japão é um grande mercado, que queremos explorar, e acreditamos ter produtos que se enquadram no seu elevado nível de exigência” acrescenta Maria Sá, CEO da Lurdes Sampaio. Com este objectivo em mente, a têxtil de Vila Nova de Famalicão vai apostar essencialmente em produtos sustentáveis, com uma vasta gama de artigos reciclados, orgânicos e biodegradáveis.

Também a estreante Eurobotónia aposta nos materiais sustentáveis: “Para além da colecção Primavera/Verão 2020, vamos apresentar um pouco de todos os artigos que fabricamos, principalmente em materiais naturais”, explica Alcino Gonçalves, gerente da empresa”.

A participação das empresas portuguesas na Jitac European Textile Fair é uma iniciativa promovida pela Selectiva Moda e pela ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal, que visa promover a internacionalização das empresas portuguesas da área da Moda. O projeto “From Portugal” é co-financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Compete 2020 - Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização, tendo um montante de apoio elegível de 12.571.412,64 €, dos quais 6.932.663,71 € são provenientes da União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.”