Associação Selectiva Moda vania@selectivamoda.com
Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies. Saiba Mais

Têxteis portugueses estreiam-se na Milipol e apresentam produtos inovadores

A comitiva From Portugal estreia-se nos próximos dias 19 a 22 de Novembro em mais um palco internacional, a Milipol Paris, feira maior no sector da protecção e segurança. Perante o olhar atento de compradores de todo o mundo, a indústria têxtil portuguesa vai apresentar as suas mais recentes novidades na área do vestuário técnico e fardamento.

A.SAMPAIO – AXFILIA – LATINO – LAVORO

A indústria internacional do sector da segurança, protecção e forças armadas reúne-se nos próximos dias 19 a 22 de Novembro, em Paris-Nord Villepinte, para mais uma edição da Milipol, a principal feira francesa – uma das maiores do mundo – dedicada à especialidade. As cores portuguesas estarão representadas por um grupo de empresas têxteis nacionais, decididas a demonstrar o que de melhor se produz em Portugal no ramo dos têxteis técnicos.

A.Sampaio, Axfilia, Latino e Lavoro compõem a comitiva From Portugal, que vai expor pela primeira vez na feira francesa – que se organiza apenas de dois em dois anos. A estreia da participação portuguesa simboliza uma aproximação da indústria nacional aos mercados internacionais, num sector que se revela cada vez mais estratégico para a têxtil portuguesa.

Em Paris são esperados mais de 30 mil visitantes, um pouco de todo mundo mas sobretudo do universo francófono e das várias geografias associadas. Na feira serão apresentadas as mais variadas novidades em termos de tecnologias de defesa e segurança, e Portugal procura destacar-se na área dos têxteis técnicos e do vestuário de protecção.

Exemplo disso é a Axfilia, que vai apresentar na feira uma vasta gama de artigos em malha para vestuário militar e de forças de protecção. A empresa de Barcelos conta já entre os seus clientes com a protecção civil francesa e com as forças policiais da Suíca e da Holanda, o que lhe permite construir um catálogo especializado com soluções feitas à medida. “Desenvolvemos artigos muito diferentes, desde meias a vestuário de primeira camada, que se adaptam às necessidades de cada força militar e que protegem os profissionais mesmo em condições extremas”, explica Maria José Machado, CEO da empresa.

Também a A.Sampaio se prepara para apresentar na Milipol várias novidades, sobretudo da sua gama Protection+. “É uma linha composta por malhas funcionais com proteção multirisco. Apresenta caraterísticas como retardante à chama, antimosquitos ou a proteção na vertente electroestática”, explica João Mendes, administrador da empresa de Santo Tirso, que afirma ter já reuniões marcadas com diferentes clientes. “Será um ponto de encontro com os nossos clientes. Nesta área o mercado principal é o europeu, embora já estejam reuniões marcadas com clientes de outros continentes”, adianta.

No stand da Lavoro, fabricante de calçado profissional, o principal foco estará nas botas produzidas para as Forças Armadas portuguesas. “Atualmente exportamos calçado para todo o mundo, mas recentemente tivemos um projecto em colaboração com o exército português, em que fomos responsáveis por produzir uma nova bota oficial, que já está a ser utilizada em missões no Iraque e no Afeganistão”, revela Rui da Silva, Product Manager da empresa. Depois de ter produzido várias versões da bota portuguesa – adequando-a a diferentes teatros de operações, consoante as condições meteorológicas – a Lavoro espera na Milipol encontrar novos parceiros para projectos no mesmo âmbito.

A participação das empresas portuguesas na Milipol é uma iniciativa promovida pela Selectiva Moda e pela ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal, que visa promover a internacionalização das empresas portuguesas da área da Moda. O projeto “From Portugal” é co-financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Compete 2020 - Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização, tendo um montante de apoio elegível de 12.571.412,64 €, dos quais 6.932.663,71 € são provenientes da União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.”