Associação Selectiva Moda vania@selectivamoda.com
Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies. Saiba Mais

SUSTENTABILIDADE DOMINA NA APRESENTAÇÃO FROM PORTUGAL EM MUNICH

É focada na sustentabilidade e inovação de materiais que as empresas Bold Design Studio, Fashion Details, Fitecom, J.Areal, JOF, Lemar, MMRA, Sanmartin, TMG Textiles, Troficolor, Lima e Companhia, Top Trends, Marjocri, SM Senra e Cityberia partem à conquista da Munich Fabric Start, que tem lugar dias 24 e 26 de Janeiro no edifício MOC Munich. A acompanhar a comitiva From Portugal estarão ainda as empresas Paulo de Oliveira e Somelos. 

Em estreia absoluta no certame está a Bold Design que se mostra feliz “por ser a primeira empresa de design têxtil a representar Portugal no sector de Design Studio desta feira”, partilha Jorge Ballester, co-fundador e comercial director.  “Embora mais de 25% das nossas vendas sejam para exportação, este é o início do nosso processo de internacionalização e oficialmente a nossa primeira feira internacional”, reforça com entusiamo. Em Munique estarão a apresentar a sua criatividade, através de desenhos únicos, pintados à mão. “Vamos apresentar os desenhos da nossa coleção não só em cartaz impresso como no nosso software. Podemos desta forma visualizar em tempo real, com cores e escala correta, qualquer um dos nossos desenhos já aplicados no modelo pretendido. Tudo isto permite não fazer stoke-offs desnecessários, poupando desta forma matéria-prima, transporte e tempo”, explica.

Igualmente a participar pela primeira vez, a JOF tem como intenção principal divulgar a empresa e os seus produtos a todas as geografias europeias. “O foco principal da JOF é a produção de etiquetas exteriores, para jeans e vestuário em geral”, explica Rui Pedro Freitas, comercial, acrescentando que estarão na Bluezone da Munich Fabric Start. “Nesta feira iremos apresentar toda a nossa coleção que começa pelas etiquetas em pele genuína e também peles sintéticas. No entanto nos últimos anos temos feito enormes desenvolvimentos na nossa coleção de etiquetas sustentáveis de base vegetal, como por exemplo a coleção em jacron lavável, um material de base celulósica muito versátil económico, sustentável, vegan e que permite desenvolver milhares de combinações diferentes”, detalha Rui Pedro Freitas. “Hoje em dia dispomos também de muitas opções de pele sintética cuja composição conta com uma elevada percentagem de biomassa vegetal, tais como milho, maça, bambu e cortiça”, finaliza.

Entusiasmada com o regresso, a Fashion Details conta que esta feira está alinhada com a sua ambição de “aumentar a presença no mercado europeu”. “Apesar de termos estado ausentes nos últimos dois anos, as relações mantidas com os clientes que conhecemos em 2018 e 2019 mostraram que valeria a pena voltar”, diz João Coutinho CEO e cofundador da empresa. Para tornar esta edição um sucesso, a Fashion Details aposta na diferenciação e sustentabilidade: “vamos apresentar novos produtos feitos com materiais naturais, como madeira, madrepérola e ráfia”, exemplifica João Coutinho. Levam também um catálogo digital, que conta com mais de 20000 artigos. “Irá permitir aos nossos clientes navegar e selecionarem facilmente qualquer acessório. Permite também a criação de álbuns para poderem referenciar a qualquer momento e em qualquer lugar”, aprofunda.

Centrada na consolidação do mercado alemão e mercados circundantes, a Top Trends repete a sua presença na Munich Fabric Start. “O mercado alemão é um dos principais mercados da Top Trends. Os mercados da Áustria, Holanda e Bélgica são mercados com menos expressão mas que queremos aumentar no volume de negócios”, contextualiza Daniel Simões, general manager. Para conquistar os visitantes a Top Trends apostará em matérias-primas naturais e sustentáveis como Lyocel Tencel, Viscose Ecovero e algodão orgânico. “Juntamente vamos mostrar como é possível desenvolver produtos de qualidade e com design utilizando matérias-primas consideradas stocks mortos”, conta Daniel.

Quanto à Lemar a aposta nos orgânicos mantém-se: “Para além dos nossos artigos best sellers produzidos a partir da reutilização de resíduos plásticos recolhidos nos oceanos e em aterros vamos apresentar qualidades tecidas com fios de tecnologia de última geração elaborados a partir de matérias-primas orgânicas”, explica José António Ferreira, gestor do mercado alemão. Apesar do clima de incerteza, a Lemar mostra-se otimista com a feira e aposta na inovação como ‘arma’ estratégica.

A SM Senra também se mostra atenta aos desafios atuais e, por isso, fez um investimento em novos equipamentos e certificação que se refletem agora nos produtos que estarão a apresentar. “Nos últimos quatro anos a SM Senra teve um aumento de volume de vendas de cerca de 20% o que permitiu investir em novos equipamentos, painéis fotovoltaicos e certificação. Este esforço reflete-se nos produtos que vamos apresentar, pela qualidade de confeção e matérias-primas”, resume Sílvia Senra, administradora.

Contente com a sua localização central na feira, a MMRA mostra-se otimista para mais uma participação na Munich Fabric Start. “Vamos estar situados num local com mais visibilidade e circulação. Como tal, pensamos que vamos ter mais visitantes e, com isso, mais oportunidades de negócio”, diz Patrícia Silva, export sales. Para esta edição a oferta da empresa de Vila Nova de Famalicão passa por “malhas com cupro reciclado, têxtil paper, banana e ananás, algodão orgânico e polyester reciclado”. “Além disso, apostamos também em composições de cupro, linho e cânhamo”, denota Patrícia Silva.

Direcionada para o private label, a Majorcri mostra-se focada em oferecer personalização aos visitantes da Munich Fabric Start. “Estaremos a mostrar a nossa capacidade de produção com amostras de diferentes tipos de estruturas, jogos, tipos de fios e pormenores, que podem ser personalizados pelos clientes”, sintoniza Joana Moura, gestora comercial. Na vertente sustentável, levarão algodão reciclado e produtos certificados, nomeadamente GOTS e GRS. 

Com atenção ao reciclado, a Fitecom parte para Munique com objetivo de consolidar o mercado alemão e holandês “que têm um peso grande para a empresa”, diz o CEO João Carvalho. “Estaremos a apresentar a coleção primavera-verão 2024, onde é dada especial atenção ao reciclado, uma forte intensidade de linhos e elásticos à trama”, desvenda.

A apresentar também a sua coleção SS24, a Troficolor pretende com esta presença “transmitir diversidade e intemporalidade”, diz Daniel Azevedo, export sales manager. “Procuramos dar uma nova vida a tecidos intemporais de coleções anteriores. Queremos fazer moda com história, recriar bases existentes de uma forma criativa e sustentável”, partilha incitando à reutilização. “Para esta estação destacamos a gama de artigos Tencel, leves e fluídos, com excelente capacidade de regulação térmica, os nossos artigos linho/hemp, provenientes da natureza, são frescos e versáteis, e os tecidos ECRU, tecidos prontos a usar na cor natural sem recurso a processos de tingimentos”, aprofunda o export sales manager. Têm ainda uma linha de artigos acolchoados com vários formatos e artigos jacquard look com desenhos que satisfazem diferentes estilos.

Por fim, a TMG Textiles diz estar com expectativas altas para a feira, um dos principais pontos de encontro com o seus clientes. “Sentimos um crescimento de interesse na fixação da rede de abastecimento na Europa, em detrimento da Ásia”, comenta. A coleção SS24 continua o trabalho de desenvolvimento e inovação das últimas edições, nomeadamente de novas fibras, estruturas e acabamentos. “Podemos destacar o investimento realizado em artigos de cânhamo e linho, novas fibras celulósicas regeneradas – com destaque para novas combinações com liocel, seacell e fruit fiber – mas também fibras técnicas funcionais, salientando a termorregulação, gestão de humidade, antibacteriano, microcirculação, entre outros”, diz Alexandra Ferreira, key account manager.

A participação das empresas portuguesas PME na Munich Fabric Start é uma iniciativa da Selectiva Moda e da ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal, que visa promover a internacionalização das empresas portuguesas da área do sector Têxtil. Esta feira está incluída no projeto “From Portugal”, no âmbito da candidatura apresentada aos projetos conjuntos de Internacionalização do Portugal 2030.