Associação Selectiva Moda vania@selectivamoda.com
Os cookies ajudam-nos a oferecer os nossos serviços. Ao utilizar a nossa página, concorda com a nossa política de cookies. Saiba Mais

EMPRESAS DESDOBRAM-SE ENTRE LONDRES E O MODTISSIMO

A aposta na circularidade e inovação volta a ser transversal a toda a comitiva portuguesa presente na London Textile Fair, marcada para os dias 5 e 6 de setembro, no Business Design Centre (Islington). 6 Dias Têxteis, Albano Morgado, Burel Factory, Fitecom, Lemar, LMA, Magma Têxtil, TMG/MGL, Troficolor e Vilarinho são as empresas integrantes do projeto From Portugal, às quais se juntam ainda Adalberto, Bloomati by Carvema, Paulo de Oliveira e Penteadora, que partem otimistas à conquista do mercado do Reino Unido. 

“Apesar da atual conjuntura, acreditamos que a feira terá uma afluência considerável de visitantes, não só dos nossos habituais clientes como também potenciais”, começa por referir Belmira Rodrigues, gestora de mercados da Albano Morgado. “Este tipo de eventos é imprescindível para o reforço da internacionalização da empresa, uma vez que contribui significativamente para a nossa publicitação e incremento das exportações”, acrescenta. Para conquistar o mercado britânico, competitivo e exigente, a Albano Morgado leva a sua coleção AW 23/24 composta por uma variada gama de tecidos em lã, misturas com lã, ideais para diversas finalidades e climas frios. “Procuramos conjugar o melhor que sabemos fazer, frutos de muitos anos de experiência, com as tendências do mercado, quer ao nível de padrões quer de cores”, remata. 

Também a experiente Lemar espera reencontrar nesta edição da London Textile Fair os seus clientes habituais e captar novos: “nunca deixamos de estar confiantes quanto ao mercado britânico, nem mesmo durante a transição do Brexit. É, normalmente, um mercado com muito empreendedorismo”, refere Flávio Dias, export sales manager. O Reino Unido assume na Lemar o segundo/terceiro lugar no seu ranking de exportação, pelo que dão constantemente o seu melhor para trabalhar as ligações com este mercado. “O foco continua a ser a promoção dos nossos tecidos produzidos com vários fios eco-friendly, certificados e de origem europeia. Como por exemplo novos tecidos feitos em poliamida 6.6 reciclada Q-Nova da Fulgar Italia”, concretiza.

O fio condutor da sustentabilidade segue na antevisão das empresas para o certame inglês: “Vamos levar produtos com foco na sustentabilidade, apesar de que o nosso produto já é por si só sustentável, a lã é biodegradável, natural…”, constata João Carvalho CEO da Fitecom, também com boas expectativas quanto às mexidas que têm acontecido nos mercados.

“Vamos continuar a focarmo-nos muito na área sustentável, no algodão orgânico, fibras reciclados, e a apostar em alguns conceitos novos e artigos diferenciadores”, soma ainda a Troficolor. A empresa especialista em denim estará na London Textile Fair a apresentar, entre outros artigos, denim acolchoados, gangas com aspeto jaquard, denim pronto a usar, com acabamento invernoso e aspeto lã/aveludado, flanelas com vários padrões e bombazines. “Queremos atrair novos clientes e consolidar as relações já existentes. Confesso que estamos muito expectantes porque a data é diferente, mais tardia. Consideramos que é sempre importante a presença física em feiras”, diz Ana Maria Magalhães, gestora do mercado externo da empresa trofense.

O gancho da importância das feiras físicas parece servir também para justificar o entusiasmo da Magma Têxtil em participar na feira: “as feiras presenciais são e sempre serão o melhor veículo para promover empresas e proporcionar o networking entre fornecedores e clientes”, refere Joana Guimarães, textile designer. “Muitas das marcas que vemos como potenciais parceiros e compradores são assíduos nesta feira internacional, mesmo com atraso desta edição não deixamos de estar expectantes. Temos sempre uma resposta positiva na London Textile Fair, é um mercado no qual trabalhamos com várias marcas e onde há sempre espaço para cativar novos clientes”, conclui. A Magma Têxtil trabalhou a sua coleção para responder a pequenos nichos de mercado, sempre com foco na sustentabilidade e utilização de fibras biodegradáveis (naturais/sintéticas).

Para a TMG/MGL a presença na London Textile Fair é sempre interessante pelas marcas premium e pelos nichos de mercado que se encontram durante o certame. As empresas estarão a apresentar a sua coleção AW 23-24 com várias propostas de artigos técnicos, sofisticados, direcionados para o outwear e artigos de performance.

A acompanhar a comitiva From Portugal estará também a Adalberto com duas novas coleções capsula, a par da coleção principal, novos estampados e desenhos: “Temos uma coleção Food Lab com composições feitas com fruta, como por exemplo banana, laranja e ananás, e outra em que utilizamos lavanda e chá verde, acabamentos que confiram bem-estar, que brinquem com os cheiros e os sentidos”, introduz Tamara Martins, sales manager. A estamparia já tem reuniões agendadas para o certame e descreve esta feira como “boa, focada no mercado inglês”.

A participação das empresas portuguesas PME na London Textile Fair é uma iniciativa da Selectiva Moda e da ATP – Associação Têxtil e Vestuário de Portugal, que visa promover a internacionalização das empresas portuguesas da área da Moda. O projeto “From Portugal” é co-financiado pelo Portugal 2020, no âmbito do Compete 2020 - Programa Operacional da Competitividade e Internacionalização e de Lisboa 2020 – Programa Operacional Regional de Lisboa, tendo um montante de apoio elegível de 6.648.794,78 €, dos quais 3.735.305,80 € são provenientes da União Europeia, através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.